PUB

14
Jul 11

Forte dispositivo policial nas ruas de Guiné - Bissau

Um forte dispositivo policial foi enviado para a zona da capital guineense, Bissau, onde está prevista a realização de uma marcha para exigir a demissão do Primeiro-ministro e onde estão já reunidos dezenas de manifestantes.


A marcha, marcada que começou às 09:00 locais na zona da Chapa de Bissau, a cerca de um quilómetro do centro da capital, na estrada que liga ao aeroporto e que está cortada ao trânsito.


O protesto foi convocado por vários partidos da oposição guineense, que ignoraram os apelos do Presidente do Parlamento, Raimundo Pereira, para o adiamento da marcha, que pretende exigir a demissão do Primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, e pedir justiça relativamente aos recentes assassínios políticos no país.

 

Em reacção, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), no poder, emitiu um comunicado acusando a oposição de pretender "o assassínio e a eliminação política e física" do primeiro-ministro.

 

Os elementos da Polícia de Intervenção Rápida destacados para o local da marcha de hoje estão munidos de bastões e de gás lacrimogéneo, mas não estão armados.

 

Os organizadores da marcha estão a apelar às pessoas que participem e garantem que estão reunidas condições de segurança para a realização do protesto. Além da estrada cortada na zona do protesto, a vida na capital guineense decorre com normalidade e fonte governamental disse à Lusa que o Primeiro - ministro se encontra no seu gabinete a trabalhar.

 

Em declarações à Lusa esta semana, o presidente interino do Partido da Renovação Social, maior força da oposição na Guiné-Bissau, Sori Djaló, garantiu que a marcha de protesto é pacífica. "Eu acredito que não haverá nenhum perigo porque nós antecipadamente dissemos que vai ser uma marcha pacífica, portanto vai ser uma marcha pacífica", afirmou Sori Djaló.

 

O presidente interino do PRS alertou contudo que é preciso não haver provocações. "O perigo é se o PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde) vier a contestar esta marcha com um outro grupo. Ai é que está o perigo", disse. Por seu lado, o secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o guineense Domingos Simões Pereira, disse na quarta-feira à Lusa que está "muito preocupado com as notícias sobre uma nova agitação política na Guiné-Bissau. Segundo Simões Pereira, uma nova

instabilidade pode "comprometer o esforço internacional de apoio e passar uma imagem de irresponsabilidade do país.

 

  

Fonte:Angola Press 14.07.2011

publicado por Estimela às 14:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
20
Jun 11

Portugal mantém cooperação técnico-policial com a Guiné-Bissau

As autoridades portuguesas são o primeiro parceiro bilateral dos guineenses na reforma do sector da segurança e que aquela cooperação vai continuar. A afirmação foi feita pelo embaixador de Portugal na Guiné-Bissau, António Ricoca Freire. “Portugal tem sido (…) o primeiro parceiro bilateral na Guiné-Bissau em matéria de reforma do sector de segurança na área das polícias através da sua assessoria técnica e através, sobretudo, de um programa coerente de treino e de formação profissional”, afirmou o diplomata português no passado dia 14 de Junho, durante a cerimónia de entrega de fardamentos e equipamento policial ao Ministério do Interior da Guiné-Bissau. A acção realizou-se no âmbito do projecto de cooperação técnico-policial entre os dois países e também no quadro da reforma do sector de segurança.

 

António Ricoca Freire explicou também que a cooperação bilateral portuguesa tem “uma dimensão e um espaço bem mais alargado, porque através desta cooperação Portugal contribui activamente para muitas das áreas e dos sectores que constam do plano operacional da reforma e que, no fundo, se encontra enquadrado no chamado roteiro conjunto entre a CEDEAO e a CPLP”. “Vamos fazer esforços para que esta cooperação prossiga no âmbito do novo acordo indicativo de cooperação para o biénio 2011-2013”, disse.

 

O ministro do Interior da Guiné-Bissau, Dinis Cabelol Na Fantcham-Na, agradeceu à cooperação portuguesa e garantiu que a “formação dos efectivos do corpo policial fortaleceu os seus respectivos comandos”.


A cerimónia, que decorreu no Ministério do Interior, encerrou o projecto de cooperação de 2010 entre os dois países que permitiu formar 400 elementos. A cooperação portuguesa vai entregar à polícia guineenses calças, camisas, pólos, meias, bonés, sapatos, botas, cinturões, coletes reflectores, apitos, algemas e bastões.

publicado por Estimela às 21:16 | comentar | favorito
14
Jun 11

Serviço de Migração e Fronteira da Guiné-Bissau assina acordo com congénere portuguesa

Bissau, -  O Serviço de Migração e Fronteiras da Guiné-Bissau vai rubricar, ainda este mês, um acordo de cooperação com os Serviços de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal.

 


O anunciou foi avançado hoje em Bissau pelo secretário de Estado da Ordem Pública guineense, Octávio Alves, tendo realçado que o acordo vai incidir sobre os aspectos relacionados com o controlo de entrada de cidadãos estrangeiros, passaportes, controlo da documentação e formação.

 

O acordo de cooperação vai ser assinado à margem da reunião dos chefes dos Serviços de Fronteiras e de Emigração da comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que vai decorrer em Bissau de 13 a 15, deste mês.

 

  
Portugal e a Guiné-Bissau já têm um acordo técnico-policial que abrange todos os serviços do Ministério do Interior guineense, mas os dois países resolveram criar uma cooperação "mais específica" no sector dos Serviços de Fronteira e Emigração.

 

Fonte : Angola Press Online 12.06.2011

publicado por Estimela às 20:41 | comentar | ver comentários (1) | favorito
12
Dez 10

Polícia Nacional de Ordem Pública (POP)

Guiné-Bissau, divide-se nas seguintes polícias



 

Polícia Judiciária - Polícia de investigação criminal.

 

Polícia de Ordem Pública - Força de segurança pública uniformizada, responsável pelo policiamento ostensivo;

publicado por Estimela às 22:03 | comentar | favorito

Notícias CPLP