Macau - O FC Porto entrou a golear no campeonato de futebol em miniatura

 

Vai ser um campeonato de bolinha mais interessante do que nunca, uma vez que foram várias as equipas que se reforçaram. Uma delas é o FC Porto que, para já, foi a que mais deu nas vistas na jornada inaugural da I Divisão. Os azuis e brancos ultrapassaram os Serviços de Alfândega por 4-0, mostrando bem cedo as “garras” para a candidatura ao primeiro lugar do grupo e assim garantir a presença na final.

 

Tal como aconteceu na época passada da bolinha, apenas o primeiro classificado de cada uma das duas séries estará na final, com os segundos a discutirem um lugar no “pódio”, de consolação, ou seja, o terceiro posicionado. Por isso mesmo, será certamente renhida a luta pelo apuramento, com oito formações em cada grupo.

 

A série dos portistas é considerada a mais forte, uma vez que apresenta três candidatos ao primeiro lugar: FC Porto, Monte Carlo e Lam Pak. E os dragões foram os que melhor conta de si deram na ronda de abertura, realizada no relvado sintético do Colégio D. Bosco.

 

A equipa de Dani venceu e convenceu, perante uma formação que deu prioridade ao sector defensivo, isto face ao maior poderio técnico do adversário. Quem se deslocou ao D. Bosco pôde ver um FC Porto com ambições a ir longe na bolinha deste ano, ainda que algumas fragilidades dos Serviços de Alfândega não tivessem dado para ter uma clara certeza do que poderá valer o sete portista.

 

Mas a juntar aos jogadores que actuaram nesta primeira jornada, entre os quais se destaca Alex e o chinês Pong Au, ambos ex-Ka I, vai surgir uma das principais contratações do clube de António Aguiar, o ex-benfiquista Taylor Gomes. O guineense só não jogou porque acertou tudo com o FC Porto apenas na semana do desafio e já não houve tempo para proceder à sua inscrição. Taylor que, como se sabe, tem “coração benfiquista”, é assim uma das grandes novidades para a bolinha, ainda que outros clubes igualmente se tenham reforçado com nomes de cartaz, como foi o caso da saída do brasileiro William Carlos do Ka I para o Monte Carlo.

 

“Nunca representei em Macau outro clube que não fosse o Benfica, mas tive de optar, neste caso da bolinha, por uma equipa com um projecto ganhador, ao contrário do Benfica que apenas o irá fazer em relação ao futebol de onze. O FC Porto parece-me ser um dos clubes com mais condições para lutar pelo título e isso agrada-me”, disse Taylor Gomes ao PONTO FINAL.

 

O jogador, que não chegou a acordo com as águias (numa altura em que Rui Cardoso se encontra de férias em Portugal), foi, como se sabe, um dos esteios dos encarnados na campanha desde a IV à I Divisão do bolão.

 

Ainda não sentiu a sensação de vestir então outra camisola, mas o futebol é mesmo assim: “Essa sensação de vestir uma camisola que não a do Benfica, ainda não a senti de facto, uma vez que só vou jogar esta semana [amanhã diante do Hoi Fan]. Mas um jogador de futebol tem de estar preparado para isto e não tem grande importância eu ir jogar na bolinha pelo FC Porto. Por outro lado, quero também dizer que, para além do projecto do FC Porto ser diferente do Benfica na bolinha, pesou bastante o facto de Dani ser o treinador. Conheço-o há muitos anos e somos bastante amigos, já desde Coimbra, onde nasci. Foi uma parte relevante para a minha decisão, isto depois de não ter chegado a acordo com o Benfica”.

 

Taylor, 25 anos, quase a terminar o curso de Direito, reconheceu que a questão financeira também pesou um pouco na saída dos “encarnados”. “A minha bolsa de estudo e o respectivo subsídio estão a acabar e isso é também importante nas minhas decisões. Mas darei sempre prioridade ao Benfica em circunstâncias semelhantes, clube onde deverei permanecer no futebol de onze.”

 

Será um reforço importante para o FC Porto, que tentará assim colmatar uma brecha importante com a saída dos irmãos sul-africanos Samuel e Simon Ramoseau.

 

Os portistas mantêm no plantel elementos influentes como são os casos de Alison Brito (fez dois golos à Alfândega, os outros foram apontados por Marcus e Alex) e Simbo Diakité. O guarda-redes é Lino Mourato.

 

“Penso que temos a série mais complicada, mas para já demos boas indicações, ainda que o verdadeiro teste não tenha sido diante da Alfândega. Mas é sempre bom entrar a ganhar”, salientou Dani, para quem os reforços dão outra consistência à equipa, principalmente após a saída do sul-africano Samuel, que para o treinador “é um jogador de grande qualidade e por isso muito difícil de substituir”.

 

Campeonato equilibrado

 

Nos restantes desafios, estiveram em evidência Ka I e Monte Carlo, com os dois a ganharem com dificuldade por 1-0. O detentor do título, Ka I, ainda não contou no banco com o seu técnico principal, Rui Cardoso, mas acabou por superar um adversário de respeito, Sub 23 (A), que se apresentou sem a sua principal vedeta, Leong Ka Hang, lesionado.

 

“Isso acabou também por facilitar um pouco mais a nossa tarefa, mas merecemos ganhar. Temos condições para voltar a triunfar na bolinha, mas o campeonato vai ser equilibrado”, disse o português Nicholas Torrão, que viu o desafio da bancada, depois de não ter conseguido chegar a tempo do início do jogo, em virtude dos seus afazeres profissionais.

 

Chan Im, jogador da República Popular da China, apontou o único tento da partida, numa equipa onde a posição mais atacante está entregue ao nigeriano Christopher Nowaru.

 

Quanto ao Monte Carlo, é orientado na bolinha pelo próprio presidente do clube, Firmino Mendonça, e conta com dois grandes reforços: o guarda-redes Domingos e o avançado William Carlos Gomes. Estão ao lado de Kamilo Oliveira, Bruno Figueiredo e Silva, mantendo-se outros elementos experientes da casa, como Geofredo Sousa e Paulo Chieng.

 

“Vamos ver como a prova vai decorrer. Vamos tentar chegar à final”, destacou Mendonça.

 

O único golo do triunfo do Monte Carlo diante de Sub 23 (B), foi marcado por Kamilo Oliveira, ele que foi o goleador do campeonato de futebol de onze.

 

Quanto aos outros resultados da jornada inaugural, a Polícia perdeu por 1-2 com o Hong Ngai, o Hoi Fan bateu por 3 a zero o Kuan Tai, o Paul Peng e o Lai Chi empataram sem golos e o Lam Pak venceu por 2 a zero o Taxi Chi Iao.

 

Esta semana, na II Divisão, estreiam-se Benfica, quinta-feira às 21h30, com a Obra Social da Polícia, enquanto o Sporting joga na sexta, também às 21h30, encontrando pela frente o Lok Tou.

 

O Sam Iao, só de portugueses, empatou com Ka U a duas bolas, com ambos os golos a serem apontados por André Raquel.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: PONTO FINAL, Macau


publicado por Estimela às 12:35 | comentar | ver comentários (1) | favorito
tags: