Policia Judiciária de Cabo Verde


A Policia Judiciária foi criada a 12 de Maio de 1993, pelos Decretos Legislativos ns.º 4 e 5/93, no uso da autorização legislativa concedida pela Lei nº 65/IV/92, de 30 de Setembro.
O Capitão das Forças Armadas, Abailardo Barbosa Amado, foi o primeiro Director Central da PJ, cabendo-lhe a tarefa de iniciar a edificação desta instituição. O período que se seguiu à criação legal da PJ foi aproveitado para se proceder à selecção, mediante concurso público, dos quadros, que após formação específica em investigação criminal e técnicas lofoscópicas no país e em Portugal, ministrada pelo Instituto Superior de Policia Judiciária e Ciências Criminais, viriam a integrar as categorias de técnicos profissionais de Lofoscopia, Agentes, Subinspectores e Inspectores do quadro da PJ Cabo-verdiana.
Assim em 1994, realizou-se o I Curso de Formação de Lofoscopistas e de Agentes da Polícia Judiciária, frequentado e concluído por 3 e 20 candidatos, respectivamente.
Os oito primeiros classificados no I Curso de Formação de Agentes, foram seleccionados para a frequência do I Curso de Formação de Subinspectores, em Portugal, o qual terminaram com aproveitamento. Ao mesmo tempo, eram seleccionados, também por concurso público, 4 indivíduos para a frequência, em Portugal, do I Curso de Formação de Inspectores da Polícia Judiciária.
Os primeiros Lofoscopistas, Agentes, Subinspectores e Inspectores da Polícia Judiciária tomaram posse nas respectivas categorias em Janeiro de 1995.
Dotada dos seus primeiros quadros, a PJ lançou-se na investigação da criminalidade e com especial atenção à criminalidade organizada, designadamente do tráfico de cocaína, que silenciosamente, porque não havia apreensões nem detenções, corroía a nossa sociedade. È assim que após várias semanas de recolha, tratamento e análise de informações, a Policia Judiciária, desencadeou no dia 28 de Março de 1995, a sua primeira operação de grande envergadura, em vários hotéis e residenciais da Cidade da Praia, todos situados a escassos metros das autoridades, que culminou com apreensão de 42 Kg de cocaína e detenção de 28 traficantes de diferentes nacionalidades.
Desde essa altura a PJ firmou-se na sociedade cabo-verdiana, combatendo o tráfico de estupefacientes como nunca antes se fizera, investigando e resolvendo burlas complexas até então desconhecidas, identificando e desmontando falsificações enganosas, esclarecendo múltiplos casos de roubos e assalto à mão armada de milhares de contos, homicídios, crimes sexuais, enfim, cumprindo a nobre missão de combater a criminalidade.
No dia 26 de Abril de 2006 o Magistrado do Ministério Público Óscar Silva Tavares tomou posse como novo Director da PJ.
Volvidos dezasseis anos a Polícia Judiciária passou de uma situação de provisoriedade e precariedade de instalações sede para um edifício do Estado que lhe oferece melhores condições de funcionamento e de segurança e lhe confere a dignidade que merece. Assim, no dia 23 de Janeiro de 2009, foi inaugurou a nova sede nacional da Policia Judiciária, localizada no antigo edifício da Empa, numa cerimónia presidida pelo Primeiro-Ministro José Maria Neves e pela Ministra da Justiça, Marisa Morais. A infra-estrutura permite melhores condições para o desempenho profissional dos funcionários da Policia Judiciária e nela, destaca-se o Laboratório da Policia Cientifica, Laboratório Fotográfico e Biblioteca. Estiveram presentes no acto, de entre outras entidades nacionais e estrangeiras os directores nacionais da Policia Judiciária de Portugal, Almeida Rodrigues e de Guiné-Bissau, Lucinda Barbosa.
A PJ é cada vez mais uma instituição de reconhecida credibilidade, eficiência e eficácia.
A cooperação com outras instituições nacionais e internacionais tem sido fundamental no cumprimento pela Polícia Judiciária das suas atribuições na vanguarda do combate à criminalidade.
publicado por Estimela às 15:53 | favorito